E3 2016 | Call of Duty: Infinite Warfare – Ainda há esperança!

Call of Duty: Infinite Warfare pode se passar em um universo onde os confrontos pelo espaço são uma realidade, mas continua com os pés bem fixados na terra, e conta uma história de guerra tipicamente, o bem-contra-o-mal.

Os produtores Jacob Minkhoff e Taylor Kurosaki da Infinity Ward, ambos antigos membros da saudosa Naughty Dog, explicaram, durante a E3 2016, a inspiração por trás da campanha do novo jogo da série Call of Duty, revelando que muito do que vamos jogar foi retirado de filmes clássicos de guerra e não da ficção científica.

Call-of-Duty-Infinite-Warfare-Captain-Reyes-Game-Squad-Oficial

Olhamos para o filme Falcão Negro em Perigo (Black Hawk Down)”, disse Minkhoff, diretor de design. “O lema de Black Hawk Down é ‘nenhum soldado é deixado para trás’. Lute pelo soldado que está ao seu lado. A irmandade e companheirismo antes de tudo. Depois olhamos para O Resgate do Soldado Ryan, que é um tipo de história muito, muito, muito diferente. Pois trata-se de como o Capitão Miller, que é um líder de pelotão, e como ele lidera um esquadrão de homens – percebendo que o objetivo não é regressar para casa, ou sequer proteger os seus homens, mas sim completar a missão que lhes foi dada a qualquer custo.”

Infinite Warfare colocará os jogadores entres os dois filmes, com um pouco de Band of Brothers pelo meio do caminho – em vez de caracterizar o jogador como um soldado estreante, o Tenente Reyes é rapidamente promovido a Capitão, ganhando muitas responsabilidades rapidamente, incluindo um grupo de pessoas que fica sob sua responsabilidade. É uma “história de como um homem bruto se torna líder,” diz Minkoff. “Como alguém passa de um espírito “nenhum homem é deixado para trás”, para um dever mais complexo de “a missão em primeiro lugar”, e o que significa esse peso nos ombros.”

Seguindo neste sentido, Infinite Warfare quase podia ser um jogo da Segunda Guerra Mundial, como o filme O Resgate do Soldado Ryan. A guerra começa com um ataque furtivo que se assemelha demais com o de Pearl Harbor, e sendo assim, Reyes e a restante de sua equipe lutarão contra uma força ostensivamente maligna. Vimos uma parte inicial do nível de abertura de Infinite Warfare, que arranca não numa estação espacial, mas num ponto de controlo e reabastecimento em Genebra na Suíça.

A Infinity Ward utilizou um ex soldado de elite da marinha americana – Navy Seals como consultor, com o objetivo de manter o “feel militar autêntico”. “Ficamos entusiasmados em ver como os militares responderam ao ver aquilo que penso ser o retrato mais realista de um porta-aviões”, disse o diretor da narrativa Kurosaki. “Mesmo tratando-se de um tipo de porta-aviões espacial“.

Minkoff e Kurosaki enfatizaram ainda que apesar de existirem missões não-lineares, a campanha single-player tem uma narrative autoral linear. “É uma história, não há traições, espionagem ou jogos duplos. É uma história clara do bem contra o mal.”

“Mesmo que possamos viajar até ao espaço, mesmo tendo armamento futurista, é uma experiência clássica de guerra”.

Siga o Game Squad nas Redes Sociais:

http://www.facebook.com/superbitworld Facebook
https://www.twitter.com/sbwyuri Twitter
https://plus.google.com/111045897833203964475 Google+
Uiconstock-Socialmedia-InstagramUiconstock-Socialmedia-InstagramInstagram_logo-2Instagram